Seguidores

domingo, 22 de agosto de 2010

Soneto Oferecido


Aceita esses versos..., - São teus -
Eu os fiz quando a alma era contente
Por ti vou dizê-los..., - Abertamente -
Para que saibam serem versos meus

E mesmo ainda se dizendo adeus
Inda assim vou dizê-los..., Docemente
A minh'alma feliz..., Alegre e dolente
Ao canto de versos proclamados seus

E somente um dia..., - Se a voz calar -
E não mais você me ouvir cantar
Os versos de amor que eu fiz p'ra ti

Com a alma quêda de saudade
Compreenderás que fui p'ra eternidade
E que nunca mais eu vou voltar aqui.

Virgílius (Um amigo do Recanto)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Link-me