Seguidores

quinta-feira, 15 de novembro de 2012


Sempre que eu te vejo,meu amor...

Sempre que te vejo assim,
meu amor,eu choro.
Um choro de deslumbramento,
de quem se recolhe em paz
ante o inexplicável
da tua existência.
Sempre que te vejo assim,
minha Deusa Egípcia,eu choro.
Um choro de contrição,
pobre súdito,
profanador de tesouros
a invadir-te amiúde
com os olhos vorazes.
Um choro de contemplação,
leitor de pergaminhos
a decifrar a tua história
enquanto navega pelo Nilo.
Sempre que te vejo,
amor da minha vida,eu choro.
 Amarísio Araújo 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Link-me