Seguidores

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

O Corredor Mortuário


A espera é sufocante e trágica...
Poucos sabem o dia que vão morrer...
Poucos são os que poderão ver
O espetáculo sem truques de mágica.

A câmara do terror com sua fome
Insaciável e desumana aguarda;
A vítima do Estado que veste farda
E tem o carma do erro no sobrenome.

A salvação depende de um telefonema
De algum funcionário do Condado.
Que declare o réu um possivel inocente.

A última refeição saborosa e quente...
Hora de pagar o crime e o pecado!
O direito à vida é apenas um poema...

José Anchieta

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Link-me